sábado, 29 de janeiro de 2011

Curtas.

Quando minha primeira cangula alçou vôo toda faceira rindo para o sol senti-me a própria!

Aumentei o sal de minhas lágrimas para não esquecer aquela afronta, mas o açúcar do teu doce sorriso enfraqueceram minha dor.

Talvez um dia eu me arrependa mas, por enquanto, vou vivendo profunda e loucamente: o futuro a Deus pertence.

A menina chorava porque não tinha uma boneca. A mulher estéril já não tinha lágrimas de tanto lamentar sua fonte seca: um filho quem me dá um filho?

Vou para o mato na beira daquele rio com boas leituras na maleta e meu note para escrevinhar alguma coisa. Sumir por uns tempos da civilização, da Interlenta e do trânsito caótico de nossa cidade. Desejo a todos um ótimo fim de semana!

Um comentário:

Roseane, disse...

É isso mesmo, apenas aproveite a vida!

Bom carná aonde você esteja!

Bjks

Uma coisa que adoro.

Uma coisa que adoro.
No inverno, fica tudo assim. Foto:D.B.

Os lagos

Os lagos
Pegamos nossos remos e varejões e saímos com muito cuidado para não triscar nos jacarés e sucuris. Foto: Veneide