sábado, 17 de março de 2007

Pesadelo de um homem bom

Olá amigos.

Peço que não se choquem com o poema cá'baixo. Escrevi em um momento de revolta contra a infidelidade de uma mulher fictícia a um homem maravilhoso. Mas, no final, salvo o herói. rsrsrs.

Peço que deixem suas impressões.

"Pesadelo

Você é tudo que não sonhei.
Você representa tudo que nunca imaginei encontrar.
Você é um chute no saco, um pisão no unheiro, um escorregão no galinheiro.
Quando me perguntam onde encontrei você, respondo:
Num beco sem saída na hora em que eu estava aperriado
Procurando me aliviar num cantinho sossegado.
Você estava junto à sarjeta, com a cara cheia de cana caída no chão.
Que bacana!

Tentei te ajudar, te dando a mão e um lar seguro.
Você usou e abusou, fez de mim seu macho, seu lacaio, seu capacho.
Depois você me traiu (e ainda achou pouco).
Esperei que mudasse, que se consertasse, que se mancasse.
Armei minha espreguiçadeira e esperei. Esperei em vão.
Horas a fio, dias sem conta por conta da vida de cão.
Cansei. Larguei você. Cansei de ser corno manso, fervoroso e devoto.
Agora você vem alegar que lhe devo amor e atenção com juros e correção.

Você é fria e calculista. Mulher pretensiosa e audaciosa.
Não se acanha de levar tal pleito junto a essa corte de respeito?
Difamar e confundir é sua manha.
Confundindo também os nobres julgadores.
Que artimanha!

Pare com isso. Cresça e apareça. Procure outra coisa para se distrair.
Ocupe sua mente e seu corpo, assim me esquece.
Logo eu, rapaz tão trabalhador e honesto,
Que de gentil não tenho mais nada a oferecer, pelo menos para você.

Que horror ter de suportar tamanha penúria.
E nem falo do medo que dá imaginar
Que por ser homem sou tido como a parte mais forte,
Quando sou a vítima de tudo isso?
Pretenderá a lei que eu seja infalível?
Não.
Tudo pode me acontecer.
Onde me queixar?

AI! Desperto! Abro os olhos. Sacudo-me. Que alívio!
Felizmente você não existe. Confesso que suei frio...
Viva! Data vênia à mãe que não pariu!"


Veneide, julho de 2006

3 comentários:

Ricardo Rayol disse...

ahahahahha mas é genial!!! engraçadissimo.. pode ser um grito d eprotesto mas com uma claase bizarra rs.

Veneide disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Veneide disse...

Na verdade, pensei num certo cidadão cuja mulher atendi uma vez, quando eu era estagiária na defensoria. Ela era uma fera! Se bem que o caso não era de infidelidade. Ela queria uma separação de corpos para ficar só na casa, mas suas alegações eram inconsistentes. Coisas do passado.

Uma coisa que adoro.

Uma coisa que adoro.
No inverno, fica tudo assim. Foto:D.B.

Os lagos

Os lagos
Pegamos nossos remos e varejões e saímos com muito cuidado para não triscar nos jacarés e sucuris. Foto: Veneide