quarta-feira, 10 de junho de 2009

Caso sério

Bruxelas, 30jun, inauguração do Museu René Magritte.

Os pés da atriz parece que estavam tocando sanfona.




Escutando a Rita e, depois, frustrada, pensando cá com os meus botões. Analisando e « pesando » fatos e fases da vida, (sem muito afinco para não me arrepender) repensei e , então, entrei numa de autocrítica. Mil perguntas surgiram : O que a gente faz de melhor na vida, quando não sabe tocar violão para sair por aí cantando, tocando e fazendo as pessoas felizes, como a Rita Lee faz com suas famosas e envolventes músicas « Mania de você », « Caso sério » e « Bwana » ? Cantar e tocar igual ? Não ! Imagine ! Nem pensar em se igualar ! Não tem igual a ela, é claro ! Quando você estudou um pouco de piano, fez um pouco de pintura, de desenho (hum, nem se fale!). Um pouco de poesia, sim : quando a alma explode. Mas quando você tem uma personalidade ambulante, um pouco cigana (mas nem tanto) e, acha dificil sentar o rabicó muito tempo numa cadeira para escrever e estudar além do que « um pouco ». Quando você conhece muito bem o que você gosta (você sabe o que gosta quando você se sente bem quando faz determinada coisa, né ?) E eu gosto de coisas dinâmicas, como aquelas que fazem a gente não parar muito no lugar. Você chega à conclusão que, na realidade você não levou em frente muitos projetos iniciados porque eles não tinham nada a ver com a sua personalidade. Lógico, porque você só persiste naquilo que faz você « sentar » por livre e espontânea vontade. Aí você coloca o pé no chão e assume. Eh ou não é ? (Caramba! Será que isso só acontece comigo?) Aí confesso que aparece uma pontinha de inveja das pessoas disciplinadas que conheço. Veja bem : uma pontinha só. Bem pequenina. Porque elas conseguem levar em frente seus projetos ! Vejam o meu marido: ainda não se aposentou mas, quando colocou na cabeça que ia estudar piano, pintura, desenho e português (ufa, até me canso), ele foi a fundo buscar as origens da pintura e de tudo isso aí que vocês leram (até aprendi um pouco com ele) ! Muniu-se de livros, sentou o rabicó, geralmente à noite pois, como disse acima, ele ainda não se aposentou. E toca, e pinta, e busca informações para se aprimorar, e, e, etc….
No entanto, sou eu quem está aposentada! Cria vergonha,Veneide! Porém, sem procurar justificativas, mas procurando ser justa comigo mesma, tenho a meu favor um fato que não me deixa ser uma inútil por completo: fiz e criei, quase só, um filho. Digo quase só, porque meus pais foram muito presentes e importantes nessa educação e, isso, não posso omitir. Não sou nenhuma heroína que possa servir de exemplo para os pais ou mães solteiros (e nem pretendo ser). Taí o menino e graças a seus próprios esforços também: doutor, mestrando brilhante, com uma imaculada carreira profissional. E eu ? Sou a melhor companhia para meu marido organizando e acompanhado-o nas viagens, nos museus, nos restaurantes, na mata, etc, etc. Ahahahahah ! Sem falar que sou eu quem administra aquele pedaço de terra lá na beira do rio cheio de cobra e cobras… por isso decidi só fazer o que me faz sentir bem e aos meus, e deixar claro quando não me sinto bem com alguma coisa. E la vamos nos amanhã para Portugal, esperando fazer uma otima viagem. Torçam por isso.



.

5 comentários:

Menina do Rio disse...

Fazer o que se gosta; isso é o mais importante!

Um beijo

Alcilene Cavalcante disse...

Vc contruiu por isso vc POOOOODE. rsrsrs

Ciça Donner disse...

Mana, nessa estou com vc. Somos quase "gemulas" e frustrei so de pensar ehehheheh

beto melodia disse...

olá...
de volta, curtindo seu espaço...

beijos em seu coração...

Anônimo disse...

Oi prima...Já tmeos saudades vossas aqui em Portugal. Onde estão as fotos?:)

Mariana

Uma coisa que adoro.

Uma coisa que adoro.
No inverno, fica tudo assim. Foto:D.B.

Os lagos

Os lagos
Pegamos nossos remos e varejões e saímos com muito cuidado para não triscar nos jacarés e sucuris. Foto: Veneide