sábado, 21 de novembro de 2009

A cadelinha daqui de casa: uma sujeita inteligente e levada da breca.

E aqui esta ela...

Eu prometi e trouxe… Só que essa cadelinha é muito assanhada. Ela viu que eu ia fotografá-la, começou a se jogar no chão e se abrir toda. Não preciso contar que suei para conseguir umas fotos (com esse tipo de modelo o fotógrafo tem que ser bem pago). O nome dela é Tas, de demônio da Tasmânia porque ela devora tudo. Devorou metade do assento de uma cadeira da cozinha (acabei de reformar. Quem? Eu merma, ora). Devorou os pegadores do meu armário da área de serviço e até um pedacinho do para choques do carro do meu filho. Não pensem que a gente deixa a danada com fome. Ela come pra caramba! Ela é proibida de entrar em casa. E quando a gente, por descuido, deixa a porta um pouquinho aberta, ela empurra e entra correndo igual uma bala. Descobri que, se sacudirmos uma sacola de plástico na direção dela, ela volta correndo para o quintal. Eheheh. Mas ela é também muito inteligente: tem um latido para cada situação e me avisa quando esqueço de fechar a bomba d’água que, aqui em casa, não é automática. Quando vamos colocar o laço ela se joga no chão à espera, toda dócil.

Fuçando o gramado e fazendo esportes


Toda dengosa e fogosa.


.

Um comentário:

Laura Silveira Mastella disse...

que linda! a minha era desobediente igual... ;)
e tmb so ficava quieta quando era conveniente (pra passear)
mas quem se importa, esses bichinhos sao so alegria!

Uma coisa que adoro.

Uma coisa que adoro.
No inverno, fica tudo assim. Foto:D.B.

Os lagos

Os lagos
Pegamos nossos remos e varejões e saímos com muito cuidado para não triscar nos jacarés e sucuris. Foto: Veneide