sábado, 22 de setembro de 2012

Volta ao Brasil set. 2012

Depois de 9 horas de vôo saindo de Orly Sud cheguei em Caiena. Meu marido não veio comigo dessa vez. Foi só esperar um pouco e vi minha amiga Fátima chegando para me buscar no aeroporto. Dormi na casa dela e, no dia seguinte, ela me transportou até St. Jorge para atravessar de voadeira o Rio Oiapoque até o Município do mesmo nome onde peguei o ônibus para Macapá. A ponte binacional está lá, esperando para ser inaugurada e, enfim, utilizada.
Como sempre, a orla do rio é super movimentada com as pessoas que oferecem transporte de todos os tipos (água e terra).Se você for viajar de ônibus, você tem que prestar muita atenção para sua bagagem não ser levada para as 4x4 que também transportam passageiros.  Além de cobrarem mais caro correm desesperadamente, e quase sempre, o motorista esta cansado.
Duas empresas de ônibus estão operando: a Amazontur e a Santanense. O ônibus da Amazontur que sai às 12hs não tem ar condicionado, mas chega em Macapá às 22hs e você já vai estar tranqüilo em sua casa ou no hotel para dormir a noite inteira. Os outros ônibus saem a partir das 18hs. Esses têm ar condicionado mas você vai viajar a noite inteira e não vai poder apreciar a natureza. Aconselho comprar frutas e água no Oiapoque antes de ir para a rodoviária. O mercado municipal é fartíssimo e variado em frutas, etc. Para mim, esse local já é por si só um ponto de atração turística nesse Município dada à variedade de frutas que podemos encontrar lá e à maneira como os feirantes se arrumam no seu interior. É um local a percorrer com curiosidade.

Na estrada, o trajeto a percorrer é longo. São quase 600 km e ainda tem um trecho de mais de 100 km sem asfalto. As empresas estão preparando esse trecho para receber asfalto e várias pontes estão sendo construídas em concreto. Isso é bom. Como não está chovendo ainda tem poeira. Pelo menos, os atoleiros horríveis da época invernosa estão em repouso absoluto. Por isso, evite reclamações pois tem gente trabalhando para as coisas melhorarem. Só precisamos torcer para que as chuvas não caiam antes de janeiro e para que os recursos financeiros destinados a esse fim sejam suficientes.
No percurso, o ônibus faz várias paradas em locais onde você pode se lavar e comer. Mas, atenção! Não espere muita limpeza e higiene nesses locais. São o básico do básico. Leve seu papel higiênico com você e proteja-o da poeira se não quiser complicações com a sua saúde.



Fiz algumas fotos mas, confesso, a viagem não foi emocionante como as outras de época de atoleiros, rsrs. Aproveite e dê uma olhada nas fotos.


2 comentários:

Roseane Viana disse...

Adoro passear por mercado público, pena que aqui em Heidelberg não temos. Boa estadia aí. Bjks

Roseane Viana disse...

Feliz ano novo!

Uma coisa que adoro.

Uma coisa que adoro.
No inverno, fica tudo assim. Foto:D.B.

Os lagos

Os lagos
Pegamos nossos remos e varejões e saímos com muito cuidado para não triscar nos jacarés e sucuris. Foto: Veneide